Resenha - A Conquista - Elle Kennedy

Leia mais

Resenha - Cretino Abusado - Vi Keeland & Penelope Ward

Leia mais

Resenha - O Ódio que você Semeia - Angie Thomas

Leia mais

#Filme: Tudo e Todas as Coisas

    Tudo e Todas as Coisas (2017) é um romance de mesmo nome escrito pela escritora Nicola Yoon, seu romance foi lançado em 2017, aqui no Brasil foi publicado pela editora Arqueiro, fazendo um sucesso considerável. Lembro que assim que o livro saiu eu fiquei louca para conferir, mas como a pilha de livros para ler anda bem extensa, fui adiando a leitura. Mas por esses dias eu fiquei bem curiosa com a história, e decidi assistir a adaptação, antes de ler o livro, (coisa que não sou fã de fazer, mas acabei assistindo) e foi um filme bem gostoso de ser lido.
  Em Tudo e Todas as Coisas conhecemos Maddie (Amandla Stenberg) que possui uma doença raríssima, Síndrome da Imunodeficiência Combinada, ela é alérgica a tudo, ao mundo, vive trancada em sua casa aos cuidados de sua enfermeira Carla. Maddie, é uma adolescente cheia de desejos, sonhos e planos e está prestes a completar 18 anos,  devido a sua saúde fica separada do mundo e das pessoas apenas tem contato com sua mãe, uma médica dedicada a doença de Maddie, e criou uma casa de acordo com as necessidades de Maggie, sua saúde é muito frágil, qualquer contato com o mundo, desencadeia muitas alergias.


   Maddie possui tudo dentro de casa, estuda, faz suas atividades, porém tudo dentro de casa, seus dias são tediosos para uma adolescente, apesar de morar em uma casa linda, com vidros que a "aproxima" um pouco da sua rua. As coisas mudam para Maddie, quando um novo vizinho se muda para a casa ao lado da sua.
  Olly (Nick Robinson) se muda junto de sua família para a casa do lado da Maddie, logo na primeira noite os dois se "conhecem" pela  janela do quarto de Maddie. O menino de cabelos grandes e roupas pretas atrai Maddie, e é fácil sentir a conexão ali, mesmo que através de uma janela. 


  Os dois passam a "conversar através de papeis pelo vidro, e Maddie se apaixona por Olly, mas ela sabe que não pode ter nenhum contato com Olly, mas como esconder esse sentimento, como fingir que não está sentindo nada por Olly, como viver esse amor?
   A primeira vista pensei que seria igual "A Culpa é das Estrelas" mas me enganei, é bem diferente e lembro também que não assisti a traillers, então não sabia de muito detalhes, o que foi algo muito bom, pois fiquei maravilhada e apaixonada com esse filme, com esse romance juvenil.
   Tudo e Todas as Coisas é um romance simples, os personagens eles se conectam de uma forma mágica, sem muita encheção de linguiça, a história de ambos são histórias ótimas, e o modo como essa amizade/relacionamento vai se desenrolando foi uma surpresa para mim, pensava uma coisa e acontecia outra, e adoro quando isso acontece, pois já tinha tempo que não assitia a um romance assim, a maioria hoje parece ter uma fórmula, mas com esse foi bem diferente.
  É uma história sensível, uma história ousada com personagens que querem viver um amor proibido.É uma história que conquista, que arranca sorrisinhos bobos, que faz você torcer para as coisas darem certo. 
  Os personagens são ótimos, Maddie uma jovem negra, que foi muito bem interpretada pela atriz Amandla Stenberg, não conhecia sua atuação e gostei bastante, gostei de como deu vida a Maddie, e já coloquei a atriz para o papel de outra personagem rs' enfim, gostei muito de como a Maddie foi desenvolvida de como ela foi crescendo, de como ela tratou a sua doença e o seu envolvimento com Olly, que foi interpretado pelo ator Nick Robinson, e foi ótimo também, me conquistou demais.
   Tudo e Todas as Coisas é um filme que super recomendo, não tem como ficar falando muito pois posso acabar soltando algo, mas posso adiantar que é uma história linda e sensível. Super recomendo.
  O livro recentemente foi lançado pela editora Arqueiro com algumas fotos do filme. Ainda não li o livro como á falei, mas quem sabe um dia eu não pegue para ler. Me contem se já leram ou se assistiram ao filme!

#Na sua opinião, o quanto importa? - Discussão

Ei pessoal, tudo bom?


Nos últimos tempos eu tenho conversado muito com algumas amigas sobre livros, não livros específicos, mas sobre características de um livro.
Nessas conversas as frases “isso importa muito”, ou “isso importa mais do que aquilo”, vieram a tona mais vezes do que quaisquer outras.
Decidi então criar essa “coluna” aqui no Blog da Tahis, um post (se Deus quiser semanal) com discussões sobre as nossas preferências no mundo literário.
Confesso que pensei muito em qual tema abordar primeiro, já que eu tive muitas ideias sobre o assunto, mas vou começar pelo que mais me intriga:

PORQUE ESCRITOR BRASILEIRO "PRECISA" ESCREVER HISTÓRIAS QUE SE PASSEM NO BRASIL?

Desde que comecei a ler, vejo críticas à quem escreve livros que se passam fora do Brasil.

  • Quando comecei a ler resenhas de livros: “Esse livro poderia ser perfeito caso se passasse dentro da realidade em que vivemos, mas o autor escolheu colocar seus personagens em Londres e sendo brasileiro, não fica tão bom quando o escreve em outros cenários geográficos.” Era um comentário comum dos resenhistas.
  • Quando comecei a escrever  “Deus me livre de escrever livro que se passem fora do Brasil”. Era um mantra que morava em meu coração,
MAS NÃO DEMOROU PARA EU ME DEPARAR COM: 

Stephanie Perkins, Jennifer E. Smith, Julia Quinn, Jojo Moyes dentre outras autoras famosas e aclamadas que já escreveram livros que se passam em lugares muito distantes da "realidade" delas... e só ali a minha ficha caiu!

  • O problema do leitor brasileiro, não é o cenário no qual o livro se passa, o problema é o autor nacional.
  • O problema do leitor brasileiro, não é um errinho ou outro de distância ou tempo a se percorrer uma distância, o problema do leitor brasileiro é que o autor é brasileiro.

Perceber isso foi algo que me deixou encucada e abalada.

Encucada porque não é possível que o problema do leitor de determinado país seja que o escritor daquele país possa gostar de um outro país a ponto de querer ambientar uma história nele.
Abalada porque eu perdi a chance de ler vários livros, (que depois de perceber que isso era bobeira, li) por causa de um preconceito ridículo.

Hoje, eu moro na Irlanda, e quando a possibilidade do intercâmbio sorriu para mim, a primeira opção sem pensar quando o foco do intercâmbio passou a ser inglês, foi a Irlanda, sabe porque? Porque eu tinha acabado de me encantar com o lugar e suas lendas ao ler “Por um toque de ouro”, da Carolina Munhóz.

Quando eu vim morar na Europa, eu queria muito ir a Londres, não por causa das fotos, dos pontos turísticos ou qualquer outro assunto sobre a Inglaterra, eu queria conhecer a terra na qual se passava “A promessa da Rosa”, da Babbi A. Sette

Hoje, eu tenho uma vontade imensa de conhecer Tel Aviv, e não é porque eu sou cristã e quero conhecer Israel, na verdade eu nunca quis conhecer Israel por ser cristã, mas hoje eu quero, muito, por causa da duologia “Nem tão tarde assim” da Lycia Barros.

Esses, dentre alguns outros livros, me levaram para terras distantes e lindas, assim como livros de autoria gringa que se passavam fora do país das autoras e eu realmente não consigo entender essa argumentação de que “brasileiro tem de escrever sobre o Brasil”.




Eu escrevo sobre o Brasil, eu gosto de saber exatamente onde eles estão quando digo que eles estão “em tal lugar no RJ ou estudando em tal universidade de SP”.
Eu gosto de escrever sobre coisas normais para mim, mas isso sou eu, a gente tem um monte de outros autores nacionais incríveis escrevendo sobre países mais incríveis ainda que a gente não lê, única e exclusivamente, porque o livro foi escrito por um brasileiro.

Eu sei que nem todos os livros sobre milionários americanos | ingleses do wattpad são obras primas.
Eu sei que existem livros que se passam fora do Brasil que o autor não sabe do que ele está falando.

Mas livros mal escritos existem ao redor do globo terrestre, nas mais variadas línguas, não apenas no Brasil, não apenas em português.

Mas, essa é a minha opinião e a sua, qual é?
Para você, o quão importante é que o autor nacional escreva livros que não se passem fora do país?
Vamos conversar sobre isso aqui nos comentários, eu vou gostar muito de trocar experiências com vocês sobre isso. 



Me siga nas redes sociais
Facebook ∴ Instagram ∴ Skoob ∴ Spotify ∴ Youtube 

#Resenha - Enquanto Houver Tempo - Paola Scott

Enquanto Houver Tempo
Paola Scott
Editora  The Gift Box 

      Enquanto Houver Tempo da Paola Scott foi uma descoberta maravilhosa, desde que comprei o kindle venho tendo mais contato com os livros nacionais e autores nacionais, e isso é algo que tenho amado, eu não era de ler muitos romances nacionais, mas de uns tempos pra cá, venho buscando o kindle tem ajudado muito. Quando vi a capa de Enquanto Houver Tempo, fiquei mega apaixonada, esse homem maravilhoso na capa, quem não fica curiosa, então coloquei na biblioteca e fui lendo devagar, e quando percebi já estava super envolvida da trama da autora.
   Nesse romance conhecemos o charmoso Dante, um homem de negócio respeitável, que vive para o trabalho, não tendo tempo para sua família, amigos ou vida social, Dante é um homem que não gosta de ficar parado, mas devido a um problema de saúde, que fez quase partir dessa para outra, foi obrigado a dar um tempo no trabalho e tirar uma férias forçadas para se recuperar. Com dicas da sua irmã Poliana, Dante viaja para um lugar tranquilo, com belas vistas, pessoas bem diferentes das que está acostumado a lidar, nesse lugar  Dante irá aprender a dar valor para as pequenas coisas, a dar valor a sua vida, a valorizar as pequenas atitudes.
   Também conhecemos Gaia, uma mulher jovem, trabalhadora, apaixonada pelo que faz, Gaia vive para a terra, ama o cultivo de maçãs e seus animais. Gaia é uma mulher simples, inteligente, apaixonada pela natureza e tem uma filosofia de vida, viver cada dia como se fosse um presente. Gaia fornece suas lindas e saborosas maças para os hotéis e pousadas da região, suas maçãs são cultivadas sem produtos, e possuem aquele gosto natural, deixando os clientes apaixonados pelas maçãs.
  E um desses clientes é Dante, que fica maravilhado com as maçãs servidas no hotel onde está hospedado. Dante, está contra sua vontade tirando essa férias, mas não pode negar o quão lindo é esse lugar, então decide sair para explorar os pontos turísticos, mas acaba com o carro preso em uma caminho, e por sorte aparece uma ajuda, uma mulher linda em um cavalo, se apresenta como Gaia e oferece ajuda a Dante.
   Dante é convidado a ir até a casa de Gaia para poder buscar ajuda com o seu carro, e  fica fascinado com as terras de gaia, com as plantações, com tudo, com a natureza, tudo que ele não tem, a paz que lugar e as pessoas ali proporcionam.
   Os dois desenvolvem uma amizade, onde Dante experimenta como é ser livre, sem ser um profissional, deixando  as pessoas se aproximarem, se abrindo para novos pensamentos e experiências.  Gaia, fica fascinada com Dante e sua voz de trovão, um homem que mexe com suas estruturas, mas que ela sabe que não pode se envolver, pois ele só está ali tirando umas férias. Gaia e Dante trocam muitas experiências, uma ajudando o outro a crescerem, a se encontrarem, quem mais cresce ali no meu ponto de vista foi o Dante, uma homem que vivia para o trabalho, não deixando as pessoas se aproximarem nem seus familiares, e ali naquele lugar, começa a pensar na sua vida como um todo, e ver a sua evolução, deixando suas emoções aparecerem é algo que eu adoro, porque nós somos precisamos desse crescimento, até nós como leitores, crescemos ali junto dos personagens.
   Enquanto Houver Tempo, é um romance que nos prende rápido, a história é contada pelos dois personagens, eu fico muito mais satisfeita quando é esse tipo de narrativa, podemos entender melhor os dois personagens, seus medos, aflições, amores o passado, ao invés de ficar criando suposições rs'
é um livro, super leve, que deixa o leitor envolvido, Dante é um homem lindo, que faz você suspirar a cada página. Gaia é uma mulher forte, pé no chão, que inspira com sua dedicação e sua paixão pelo que faz.  A autora também trata sobre alguns problemas de saúde que achei um grande diferencial na história, e a troca de informação é super válida, eu ão conhecia certas coisas que ela trata, e ela soube falar com uma facilidade e propriedade que me deixou ainda mais conquistada. 
  Enquanto Houver Tempo é um livro sobre crescimento, sobre novas chances que a vida te dá, sobre recomeços, família, amor, dedicação. Nos mostra que precisamos de pouco para sermos felizes, nós sempre colocamos tantos empecilhos na nossa vida e acabamos não vivendo com o que temos. Gostei da escrita da Paola, me conquistou e já quero ler mais livros da autora. Recomendo para fãs de romance

#Tag: Perguntas Literárias

Oi gente, como vocês estão?
Por aqui tudo indo, e hoje venho responder uma tag que encontrei em algum blog, mas devido ao esquecimento, não anotei, mas assim que eu lembrar irei marcar para dar os devidos créditos. A tag são perguntinhas literárias bem básicas, achei bem divertido responde-las, lembrando que você também pode responde-las, tanto nos comentários como no seu blog também! 




1- Nunca Li: Senhor dos Anéis 
Nunca senti vontade de conhecer esse mundo, vejo alguns blogueiros e booktubers falando com uma paixão, mas eu nunca senti vontade de ler. 

2- Não Sinto vontade de ler: Game of Thrones 
Não sinto a menor vontade de ler,fico até curiosa pois as pessoas falando com tanto carinho, ficam tão nervosas com a série,mas quando olho para os livros, não bate aquela vontade de devorar e saber de tudo. Confesso que já tentei, mas não rolou.

3- Ninguém que eu conheça leu, mas eu gosto:  difícil! Lembro de um livro que conheci no ensino médio e é meu xodó. Que é o livro Momentos de Paixão" da Danielle Steel, não conheço pessoas que tenham lido esse livro, assim que li, lembro que indicava ele para muitas pessoas, na época nem blog eu tinha.

4- Último livro que eu li: Li "Enquanto Houver Tempo" da Paola Scott
Um romance que foi lançado mês passado, e como eu não tinha lido nada da autora fiquei bem curiosa, já que adoro um romance. E esse romance é muito amor, fala sobre recomeços, escolhas, amor, viver a vida com amor, sem ficar se preocupando ao extremo. Gostei da narrativa e da história.

5- Tenho preguiça de ler:  Tenho preguiça de ler "As Crônicas de Nárnia" confesso rs' 
Mesmo sendo tão bem falado e sabendo um pouco da história, eu tenho uma preguiça enooorme rsrs.. não me julguem!

6- Livro da minha vida: "Extraordinário"  R.J Palacio
não é da minha vida, mas é um livro que tenho muito carinho,  que é o livro "Extraordinário" que passa uma mensagem simples, linda e tão fácil de assimilar, ser gentil com as pessoas, tentar ao menos compreender seus sofrimentos, ouvir e ser gentil novamente. 

7- Leria de novo: Momentos de Paixão - Danielle Steel
Siiim. mais uma vez ele aqui, é um livro que leria novamente, e acho que isso vai acontecer no próximo mês. è uma história tão linda, que compartilharei aqui no blog a resenha. Aguardem!

8- Tenho Vergonha, mas li e gostei: Trilogia 50 tons de cinza
Olha, não é vergonha, até porque não tenho essa coisa, os nossos gostos vão mudando ao longo dos anos, lembro que na época fiquei apaixonada, devorei os livros, gostei dos personagens de me envolver na trama. não sinto vergonha, faz parte da bagagem literaria! 

9-  Muita gente leu e gostou e eu detestei: Olha, não me recordo de nenhum livro no momento, quando não gosto do livro já coloco para troca no skoob rsrs...

Bom gente, adorei responder a tag, já tinha um tempinho que não respondia nenhuma, e vistanto alguns blogues encontrei essa. Sintam-se a vontade para responde-las nos comentários ou no blogs de vocês, me convidem para ler suas respostas! beeeijos!

#Resenha - A Conquista - Elle Kennedy

    A Conquista 
Série: Amores Improváveis #4
     Elle Kennedy
Editora Paralela


A Conquista

     Sabe aquela série que você fica apaixonada, devora os livros e quando chega no último livro fica enrolando, com pena de dar adeus aos personagens? Pois é, foi assim com essa série, estou enrolando para ler esse último livro desde o final de 2017, mas eis que a saudade e curiosidade falaram mais alto, e finalmente li "A Conquista" último livro da série Amores Improváveis da Elle Kennedy.
   Em A Conquista, conhecemos mais sobre o John Tucker, também faz parte do time de hóquei da Briar, junto dos meninos lindos, Logan, Dean, Garrett. Os quatro moram juntos na república e são bem unidos, Tucker é o mais reservado, é o cozinheiro da casa, sempre ali com conselhos para os amigos, Tucker foi criado pela mãe no Texas, e teve uma boa educação, é um cara simples, cavaleiro, sincero, educado e muuuito lindo. No final do livro "O Jogo" Tucker conta uma notícia bombástica para seus amigos, deixando o leitor maluco de curiosidade. no começo desse livro vamos ver tudo até chegar até essa notícia.
   Nesse livro também conhecemos a Sabrina James, uma jovem que já apareceu nos outros livros, e confesso que não ia muio com a cara dela, já julgava a coitada sem conhece-la bem, enfim, Sabrina é batalhadora, estuda muuito, seu curso exige isso, sonha em ser uma advogada e seu sonho é entrar para Harvard, para isso estuda e trabalha muuuito, não tendo tempo para outras coisas, entre elas, relacionamentos, Sabrina é prática, para aliviar o estresse, se interessa por atletas e somente por uma noite. Mas as coisas mudam quando conhece, John Tucker, a atração entre os dois é forte e inegável. 
   Sabrina James é intensa, linda, inteligente, determinada, teimosa, sabe que a atração entre ela e Tucker é intensa, mas está correndo de algo que tome seu tempo, não quer nada que a tire de seu foco, que é Harvard, Sabrina estuda e trabalha em dois empregos, para economizar para a faculdade e ajudar em casa. Mora com a avó e o padrasto, foi abandonada pela mãe e nunca se sentiu amada de verdade. Acho que seu maior medo é isso, ser amada.
    John Tucker é um fofo, sabe como tratar uma mulher, sua sinceridade e integridade são os grandes destaques. Depois de conhecer Sabrina, depois de uma transa intensa, tudo que ele quer é conquistar essa mulher que vem mexendo com seus pensamentos, mas sabe que não será fácil, Sabrina James, é dura e determinada. Será que Tucker irá conseguir conquistar Sabrina?
  Mesmo diante da determinação de Sabrina em não querer algo sério, Tucker persiste em ser amigo, e os dois são ótimos juntos. Como disse, Tucker é bem reservado, e o seu "envolvimento" com Sabrina, ele prefere não comentar com seus amigos, até porque Dean não suporta Sabrina rs' 
  As coisas entre Sabrina e Tucker ficam sérias quando algo inesperado acontece, mudando a vida de ambos. 


“Porque o amor é o objetivo final. Não que eu tinha me esforçado para obtê-lo, mas eu tive sorte o suficiente, tão maldita sorte, para alcançá-lo. ”

   A Conquista foi uma leitura que nas primeiras páginas não me prenderam, confesso que fiquei um pouco desanimada assim que comecei a ler o livro, tanto que intercalei com outras leituras, mas depois de persistir, avancei e as coisas foram melhorando. Uma coisa que me incomodou foi que a autora enrolou demais para certas coisas, e era isso que estava me desanimando. 
  A narrativa intercala entre Sabrina e Tucker, eu adoro  quando é assim, e podemos sentir melhor os dois lados, de entender melhor cada um, e a autora explora isso muito bem, em todos os livros.
  Já estou com saudade dessa turma, cada personagem agregou de alguma na minha leitura. Personagens persistentes, sempre com sonhos que querem alcançar, são falhos como todos, mas nunca desistiram. Já quero mais livros da autora aqui  no Brasil. Se você ainda não conhece os outros livros da série, fiz um post com todos os livros na coluna "Conhecendo a série" basta ir conferir e ficar por dentro de cada livro.  Recomendo para quem curte histórias jovens, engraçadas, com uma pitadinha de clichê. São histórias que você d alguma forma se identifica. Então de uma chance a série "Amores Improváveis".


#Esquecidos na Estante - Parte 2


Oi gente, como vocês estão?
O post de hoje é o segundo que faço, o primeiro foi "Esquecidos na Estante" que foi um post onde falo sobre alguns livros que estão aqui na estante esperando ansiosos pela vez deles. É triste ver os livros aqui e não conseguir ler todos rs' e como faz para parar de comprar? Difícil. E andei olhando o outro post, feito em 2016 e não li nenhum até hoje. Que vergonha. Mas ainda esse ano as coisas irão mudar...Mas, continuando, vamos a livros que ainda estão aqui na estante...



* De repente Ana - Mariana Carvalho

Esseé o segundo livro que acompanha a vida da  Princesa Ana, a princesa de Krósvia. Lembro que quando li Simplesmente Ana", primeiro livro, eu fiquei apaixonada, e quando esse saiu queria logo, e quando comprei foi ficando de lado rs' e até hoje não li, ficou na pilha dos esquecidos, mas confesso que ainda pretendo ler, só Deus sabe quando!

* Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor - Sarah Butler
Esse livro foi compra de Bienal de 2014, aqui no Rio. Foi lançamento da Editora Novo Conceito e estava sendo muuito bem falado, eu como adoro livros com a palavra amor, e história que faz refletir, li a sinopse e não pensei duas vezes. Um livro sobre coisas que aprendemos com o amor, duas pessoas apaixonadas por estrelas, e que sempre criam listas de coisas que aprenderam.


* A Melhor Coisa que Nunca Aconteceu na Minha Vida -  Laura Tait E Jimmy Rice
Ahh esse livro, quando li a sinopse e esse título enoorme fiquei bem curiosa. Uma história que tem a premissa amor entre amigos, mas que sempre deixam esse amor passar por medo de fazer com que a amizade acabe. Essa é a premissa do livro e eu adoroo, não sei porque ainda não peguei para ler, lembro que comecei, mas não lembro o motivo de ter parado a leitura. A capa é tão lindinha, estou aqui namorando esse livro, quem sabe não pegue para ler! Alguém já leu?



* Eu sou o número Quatro - Pittacus Lore 
Lembro direitinho que assisti ao filme, e assim que terminei pensei: "Preciso ler esse livro" e comprei o livro em uma promoção, mas até hoje não peguei no livro, as vezes olho para ele, e fico pensando o porque de ainda não ler, o filme me conquistou tanto, mas uma coisa que me desanimou é que é uma série bem grandinha, mas vamos ver se consigo ler esse primeiro livro! Alguém já leu esse livro, ele é bem falado!



* Apenas um Dia - Gayle Forman

Esse livro a Tay,amiga e colunista aqui do blog leu e amou, falou tão bem que fiquei animada para ler e encontrei o livro em uma promoção, super empolgada para ler, pois adoro romances, ainda mais esses intensos que acontecem em apenas um dia. Pois bem, o livro ta aqui lacradinho, nem saiu da embalagem ainda, assim como o "Apenas um ano" que também é meio que a mesma história. Os dois estão lacrados aqui, gente, eu era/sou compradora compulsiva, hoje em dia estou me controlando mais, mas fico aqui pensando, como comprava um monte de livros hahaha.. Senhor!

Gente, fico aqui pensando, como nós leitores somos loucos, nem sabemos se vamos conseguir ler todos os livros, mas continuamos comprando loucamente! Vou tentar ler esse livros, pelo menos um por mês.. vou partir para o sorteio! E vocês,me contem, quais livros estão "esquecidos" na estante de vocês, mas que ainda pretendem ler? Me contem! Acho que se eu futucar mais aqui, vem uma terceira parte hahaha.. beeeijos! ♥


#Resenha - Cretino Abusado - Vi Keeland & Penelope Ward


Cretino Abusado
Vi Keeland & Penelope Ward
Editora Essência 


    Em Cretino Abusado, temos aquela história típica de viagem e pá, se conhece um estranho rs' eu confesso que adoro essas histórias, tenho uma quedinha por elas, são leituras leves, despretensiosas, que você se diverte lendo em uma tarde tediosa.
  Nesse romance, conhecemos Aubrey que está viajando para Califórnia para recomeçar, depois de ser traída pelo seu namorado, ela decide largar tudo para trás e ir em uma nova busca, mesmo deixando para trás um ótimo trabalho, mas seu chefe, era seu namorado, então não tinha muito o que pensar.
  Aubrey está magoada, como qualquer um ficaria ao ser traída, e sair de carro com todas as suas coisas dentro é a melhor opção para distrair e organizar os pensamentos e sentimentos.
   Mas nessa viagem ela conhece Chance, um motoqueiro lindo, com aquele corpo escultural e ainda com um sotaque australiano de deixar louca,  que a faz imaginas as mais perversas fantasias. Em sua visita a lojinha, os dois se esbarram e trocam algumas farpas, o que acaba deixando as coisas bem interessante. Na saída do estacionamento, o pneu do carro de Aubrey furou, e agora como ela irá trocar, sendo que não entende? E adivinha que ta com aquele sorrisinho debochado no rosto vendo o desespero dela? Siiim, Chance! Após um acordo, ambos se ajudam. Chance está com problemas na moto e se oferece a trocar o pneu de Aubrey, se ela der uma carona a ele até a Califórnia. humm qual será a escolha de Aubrey???
  Os dois seguem viagem, e vão se conhecendo melhor, trocando algumas farpas, mas sobre tudo se permitindo desabafar e se conhecerem melhor.  Aubrey e Chance juntos na estrada, vivem as coisas mais engraçadas, se divertem, falam de tudo um pouco, até um cabrito entra no meio dessa história.
  Ambos personagens, possuem uma bagagem, Aubrey tenta recomeçar, tenta se encontrar, já Chance é uma incógnita, com um ar misterioso, fiquei louca para saber mais detalhes da sua vida, coisa que não fica muito claro, mas depois quando vem, tem se segurar e é impossível não admirar tão atitude. Os dias que passam juntos, a forma como desenvolveram uma amizade e um certo interesse, é bem nítida, mas a viagem tem um prazo, será que quando chegar ao final, cada um vai seguir seu caminho ou terá algo mais?
   Cretino Abusado é um livro divertido como falei, tem um toque sensual, mas nada de mais. um romance para ser lido naquela tarde de preguiça. Eu adoro esses romances , distrai a mente, e os faz suspirar e dar algumas risadas! Para quem gosta de romances, é um ótimo livro!

#Filme: Lady Bird - A Hora de Voar

Lady Bird - A Hora de Voar (2018)  foi lançado em fevereiro com direção de Greta Gerwig, e é um filme indicado ao Oscar de melhor filme, melhor roteiro original, melhor atriz e entre tantos outras categorias. Não sou muito ligada a premiações, mas quando assisti ao trailer desse filme, fiquei muuuito curiosa com a história de Christine. Não sou nenhuma crítica de cinema, as vezes trago alguns filme e comento a respeito.
Em Lady Bird, conhecemos Christine ou Lady Bird, (Saoirse Ronan) como ela gosta de ser chamada, uma jovem de 17 anos que está naquela fase de se descobrir, de sair da escola e entrar em uma faculdade, de decidir o que quer ser e fazer. Chritsine vem de uma família simples, que está enfrentando o desemprego, seu pai foi despedido e sua mãe, Marion McPherson (
Laurie Metcalf)  trabalha em dois turnos para manter a casa e pagar a sua escola.
Christine é uma jovem muito a frente do lugar onde mora, estuda em uma escola católica na cidade de Sacramento na Califórnia, seu sonho é sair de lá e ir para uma Universidade grande, de prestigio, não as Universidades locais públicas que sua mãe Marrion, quer que ela estude.
A relação entre mãe e filha é bem intenso, as duas possuem personalidades fortes, e vivem em constante atrito, a mãe é fechada, acha que tudo que a filha faz é para chamar a atenção ou para irrita-la. Uma relação que vamos acompanhar durante o último ano de Lady Bird na escola, entre suas paixões, amizades,  suas escolhas, ansiedades e relacionamentos. Sua ambição acaba afastando sua melhor amiga. Já a relação com seu pai, é bem diferente, o Pai de Christine, é doce, gentil e compreende a filha, compreende seus sonhos, mesmo diante do desemprego e um principio de depressão, ele não mede esforços para ajudar a filha, ou para amenizar as coisas dentro de casa entre mãe e filha.


Christine é uma menina intensa, sonhadora, tudo que ela quer é se enturmar, ser conhecida na turminha popular da escola, e isso já sabemos que inventa mentiras sobre a família, como vergonha da casa onde mora, vergonha de seus pais. Como toda adolescente no ensino médio, Christine se apaixona e vive seus romances, suas frustrações, medos e tantas coisas que passam em nossa cabeça nessa época.
É um filme que você se identifica com a personagem, quem nunca sonhou em sair da cidade onde mora e ganhar o mundo, se encontrar em outro lugar, se descobrir, conhecer novas pessoas?
   Apesar de Christine cometer alguns deslizes, percebemos que é pela idade, a atriz consegue nos passar com sensibilidade os sentimentos da personagem, a suas vontades e seus esforços e ver que ela vai amadurecendo é muito bom.
O filme é bem simples, o famoso "coming of age", é um filme despretensioso, uma jovem decidida, sarcástica, assisti esse filme com um sorriso no rosto do inicio ao fim, e me identifiquei em algumas coisas com a mesma. Como disse é um filme, bem juvenil, não espere nada de extraordinários, é uma história de uma adolescente comum, com sonhos e força de vontade. Apenas assista! 
  O elenco é ótimo, todas as atuações foram maravilhosas, e merecem destaques e serem reconhecidas. Gostei muito da interpretação da Saoirse Ronan e da Laurie Metcalf, mãe da Christine, ótimas atuações.  Gente, apenas assista esse filme!